36. Perdendo o frotista

Enquanto algumas pessoas, dentro da organizaão, fazem de tudo para conquistar um cliente, outros conseguem, com muito pouco, estragar tudo.

Armando vinha trabalhando naquele cliente por mais de dois anos. O gerente anterior havia provocado um desentendimento que causou o afastamento do cliente que nem queria ouvir falar da empresa. Questão de palavra - dissera que nunca mais poria os pés naquele lugar onde fora desrespeitado. Com muita calma e perseverança o Armando foi provocando aproximação até conseguir respeito pessoal e reconquistou o cliente para a empresa.

Um dia, saindo do escritório da diretoria, onde fora acertar os últimos detalhes da compra de doze caminhões para substituição da frota antiga, o cliente, passando pelo balcão de peças lembrou de comprar um acessório para o seu carro. Escolhido o acessório, tirada a nota, o cliente emitiu um cheque. O balconista pediu que fosse pagar no caixa. Pacientemente esperou enquanto a mocinha do caixa discutia, por telefone, com o tesoureiro, a respeito de erros no movimento do dia anterior.

Ao entregar o cheque, o cliente lembrou de um detalhe:

- "Minha filha”, por favor, deposite este cheque somente depois de amanhã. Essa conta está com todo dinheiro aplicado e tenho que fazer o resgate amanhã.

- De jeito nenhum, eu não te conhe o, depois tudo estoura nas minhas costas!

O cliente não disse nada, pegou o cheque, rasgou, deixou a compra sobre o balcão, virou as costa e nunca mais voltou, nem aceitou receber ninguém da empresa para justificar o cancelamento da compra dos doze caminhôes.

Jurou que nunca mais voltaria atrás com sua promessa.

O Armando perdeu o cliente, todo trabalho realizado e a comissão, a empresa perdeu o cliente.