32. O terror da administração

A maioria, ou a quase totalidade dos problemas de uma empresa podem ser atribuídos aos vendedores. São as vendas que geram problemas na produção e na administração; sem as vendas não haveria problemas de produção nem de administração e ... nem a empresa !

Armando era o campeão de vendas na empresa, mas tinha um hábito que irritava muito o Diretor Administrativo, sem contar os demais chefes e funcionários da administração. Toda segunda-feira, logo depois da reunião de vendas, partia para o setor de administração da empresa com um rol de reclamações de toda sorte:

Setor de cobrança. Reclamava de cobrança que fora feita em data diferente daquela combinada com o cliente, do valor da parcela, do desconto em banco diferente do combinado (naquela época, não havia o sistema de cobrança interbancária), de cobrança em duplicidade, de clientes que não foram cobrados e estavam reclamando, etc.

Setor de entrega. Reclamava de entregas erradas de produtos, de atraso de entrega, de entrega em endereço diferente daquele definido pelo cliente, etc.

Dpto. Financeiro. Como as comissões eram pagas todas as sextas-feiras, na segunda era dia de reclamar das comissões que não foram pagas, das que foram calculadas errado, etc.

Um dia, depois de deixar louco, metade do escritório, o Armando foi abordado pelo Diretor Financeiro, bem no meio dos corredores da empresa:

- Oh, Armando, você é quem mais ganha nesta empresa, e é quem mais dá trabalho, só reclama!

- Bem vamos em partes: Se sou quem mais ganha é porque sou quem mais vende. As cinco da tarde todos aqui estão fechando as gavetas para irem embora, eu fico no campo, normalmente até 22 ou 23 horas; já passei muitas madrugadas trabalhando. Se chove ou faz sol, eu estou no campo. Sábados e domingos, vocês descansam, eu trabalho.  E tem mais... se eu não vendesse, não teria porque reclamar das entregas erradas, das cobranças erradas, das comissões erradas.  E tem mais ainda, se nós, vendedores, não vendêssemos tanto, não déssemos tanto trabalho, vocês não teriam emprego.