29. O fusca rejeitado

Armando, quando vendedor de consórcio, no início de sua carreira, andava com um fusquinha velho, caindo aos pedaços. Não porque Armando não estivesse ganhando para comprar um carro melhor, mas porque a sua paixão era comprar bezerro para engorda. Tinha bezerros engordando num monte de pastos nas fazendas dos amigos e clientes.

Coincidentemente, a comissão da venda de consórcio era exatamente o valor de um bezerro desmamado; Armando, então fazia seus objetivos de vendas, em bezerros. Enquanto isso continuava andando no seu "pau-velho".

Um dia, quando argumentava com um cliente, as facilidades de se conseguir ter um carro novo "ZERINHO", explanando todas as vantagens do consórcio, o cliente observou:

- Uai, ocê diz que é tão fácil ter um carro novo "ZERINHO", como é que vive por aí capengando com esse carro velho caindo aos pedaços?

Armando se viu em palpos de aranha, gaguejou, pigarreou ... mas achou uma saída:

- Pois é, agente tem que aceitar qualquer carro velho como lance; aceitamos esse aí e não conseguimos vender para ninguém, então eu estou usando até acabar.